Ir para conteúdo

Balanced Scorecard: modelo de gestão estratégica

A metodologia de Kaplan e Norton evoluiu desde a sua criação, nos permitindo melhorar nossa forma de planejar e de gerenciar organizações de diferentes setores econômicos e utilizando software de gestão especializados.

O Balanced Scorecard, tem-se convertido em uma ferramenta que está ajudando diversas empresas a concentrar sua organização em sua estratégia. O BSC nasceu no início da década de 1990 como resultado de um estudo feito em distintas organizações de grande nível: Bellsouth Corporation, General Electric, Du pont, Hewlett Packard, Shell, Mobil e outras.

Os criadores desta metodologia Robert Kaplan e David Norton, publicaram uma série de artigos desde o ano 1990 até chegar a publicação do livro “The Balance Scorecard: Traslating strategy into action”, em 1996, o qual relata a experiência da implementação do BSC nas empresas citadas e os seus excelentes resultados.

O que o Balanced Scorecard apresenta?

O BSC tem a capacidade de substituir os antigos métodos de medição e controle, os quais estão baseados em objetivos e indicadores financeiros que apenas relatam o estado de saúde da empresa em períodos anteriores e não permitem estabelecer novas formas de atuar no futuro. Sem contar que não permitem perceber o estado das relações com os clientes e, tão pouco, com os fornecedores. Enfim, os antigos métodos nos davam um panorama limitado e defasado da empresa.

Por outro lado, o Balanced Scorecard nos apresenta uma nova forma de dirigir e monitorar nossas organizações. Ele oferece um foco completo, não apenas interno, por meio da Perspectiva de Processos Internos e de Aprendizado e Crescimento, mas também, nos proporciona conhecer o nível das relações com nossos clientes e os seus resultados desde a Perspectiva Financeira.

Mas na realidade, o que é o Balanced Scorecard?

Os criadores da metodologia o definem da sua maneira “[…] o BSC traduz a estratégia e a missão de uma organização em um amplo conjunto de medidas de atuação, que proporcionam a estrutura necessária para um sistema de gestão e medição estratégica”.

Outra definição que se pode citar é a do professor Alberto Fernández do IESE da Espanha, que define o BSC como “[…] um modelo de gestão que traduz a estratégia em objetivos relacionados, medidos através de indicadores e ligados a alguns planos de ação que permitem alinhar o comportamento dos membros da organização”.

Da mesma forma, o professor Ricardo Martínez Rivadeneira da Universidad de la Sabana, na Colômbia, define o BSC como uma “[…] forma integrada, balanceada e estratégica de medir o progresso atual e fornecer a direção futura da companhia, que permitirá converter a visão em ação, por meio de um conjunto coerente de objetivos, indicadores e iniciativas agrupadas em perspectiva.”

Porém, em que se baseia o êxito do BSC?

O êxito do BSC se deve a capacidade de conectar estreitamente a Visão e os Objetivos Estratégicos com o trabalho operativo e rotineiro, mediante a aplicação correta da estratégia organizacional.

O BSC fundamenta a sua utilidade em uma estrutura prática e simples, que baseia seu esquema em quatro perspectivas, ou podemos chamar de dimensões críticas nas organizações, sendo elas: a Financeira, a de Clientes (externas), de Processos Internos e a de aprendizado e crescimento (internas).

Considerações

O verdadeiro propósito do BSC é chegar a utiliza-lo como sistema de gestão da estratégia organizacional, não apenas o considerando como um sistema de monitoramento do cumprimento de metas e sim, um modelo que permita, em primeiro lugar, estabelecer claramente a direção em que se quer ir (visão e missão); estabelecer em qual situação nos encontramos (SWOT, Diagnóstico, FCP); o que estamos fazendo, como estamos indo e para onde queremos chegar (Iniciativas Estratégicas e Planos de Ação Tático-Operativo, Hoshin Kanri); e por fim, conseguir um feedback integral, o qual nos permita conhecer como estamos fazendo nosso trabalho e realizar as correções adequadas com o objetivo de melhorar nossa posição no mercado.

O BSC é, sem dúvida, uma das ferramentas de vanguarda com resultados exitosos evidentes. No entanto, não podemos descartar que essas novas técnicas são implementadas por organizações dirigidas por pessoas, onde o fator crítico e poderoso sempre será os Recursos Humanos. Portanto não nos equivoquemos na hora de buscar melhorias nos resultados e planejarmos mudanças. Devemos nos perguntar: quais ações podemos realizar para que nossos empregados possam atingir seu compromisso e motivação frente as próximas melhoras?

Nenhuma nova ferramenta de gestão, por mais completa que seja, poderá ter êxito em sua implantação se não  proporciona um lugar correto e um verdadeiro valor ao fator chave de toda organização: nós (as pessoas), seus criadores e operadores.

Escrito por: Fernando Estrada                                                                                               Supervisor de Negócios Internacionais
Interact Solutions

Você já participou de algum projeto de implantação de BSC na sua empresa? Compartilhe conosco sua experiência deixando um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: