Conheça as três fases para regulamentação de instituições de saúde no Peru

Foto: Depositphotos/pressmaster
Tempo de leitura: 5 minutos

Assegurar um bom sistema de saúde é um dos principais objetivos de todo país. Com o objetivo de garantir o entendimento das capacidades funcionais das instituições de saúde, Peru apresenta a Norma Técnica 050-MINSA/DGSP-V.02, direcionada para instituições públicas e privadas

Intitulada “Norma Técnica de Salud para la Acreditación de Establecimientos de Salud y Servicios Médicos de Apoyo”, estabelece três fases de cumprimento de característica, as quais outorgam uma sequência lógica sobre requisitos de capacidade resolutiva e de qualidade no que se refere ao atendimento aos pacientes.

Abaixo, apresentamos as três etapas de qualificação:

1) Habilitação

A primeira fase se refere ao processo de habilitação. Ele é aplicado de forma obrigatória, por parte da autoridade sanitária. Desta forma, é assegurada a existência dos requisitos mínimos para desenvolver suas atividades de segurança sanitária.

Nesta fase, se iniciam processos de autoavaliação de condições e inscrição no registro correspondente, assim como a verificação de cumprimento de padrões.

2) Categorização

O seguinte passo é a categorização, que é o processo obrigatório que divide as instituições de saúde de acordo com sua capacidade e características funcionais com respeito a sua prestação de serviços. No total, existem 10 categorias para os estabelecimentos de saúde, de acordo com os níveis de complexidade e de atendimento prestados aos pacientes. A categorização atribuída possui uma vigência de 3 anos, tempo depois que a entidade deverá solicitar a recategorização.

3) Acreditação

Finalmente, a última fase é a acreditação, um reconhecimento por parte do Ministério da Saúde, a partir do qual dá a conhecer que a instituição acreditada cumpre com os padrões de qualidades presentes nos instrumentos correspondentes.

Esta última fase trata de um processo de avaliação externa, que compara o nível de desempenho do estabelecimento com os padrões que promovem a melhora contínua da qualidade de atendimento. Devido a maior exigência deste process, em comparação com os anteriores, ele contempla as seguintes fases:

  • Autoavaliação: avaliação realziada por auditores internos que verificam o cumrpimento da Lista de Padrões de Acreditação, que se realzia pelo menos uma vez ao ano e se considera aprovada com uma pontuação igual ou superior a 85%.
  • Avaliação externa: confirmação externa dos resultados obtidos na fase de autoavaliação. Este processo é de caráter voluntário. No entanto, é necessário para ter acesso à constância de acreditação, como a Resolução Ministerial ou a Resolução Executiva.

Números da Interact no setor da saúde

Cinco clientes da Interact se destacaram no Ranking de Clínicas e Hospitais da América Latina, promovido anualmente pela AméricaEconomía Intelligence, uma das principais publicações latino-americanas de negócios. Entre eles, dois figuram entre as cinco melhores instituições hospitalares.

O setor da saúde é o principal nicho contemplado pelas tecnologias da Interact, com 52,7% do número total de clientes. Atualmente, 14 deles possuem acreditação da Joint Commission International. Já outros oito hospitais dispõem da Accreditation Canada International, certificação baseada em uma metodologia de padrão internacional de qualidade.

A Interact é detentora da Suite SA Strategic Adviser, um conjunto de mais de 20 sistemas de gestão presente em mais de 300 organizações na América Latina. A empresa dispõe de uma Unidade de Pesquisa, Inovação e Internacionalização, 13 Unidades no Brasil, 56 partners de negócios e oito distribuidores internacionais.

Comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: